domingo, 29 de agosto de 2010

Tabela de relações ecológicas entre seres vivos

Relações ecológicas entre os seres vivos
Intra-específicas (homotípicas) – entre indivíduos da mesma espécie
Harmônicas – ambos os seres envolvidos são beneficiados
Sociedade – é uma forma cooperativa, onde cada ser tem um papel específico, mas não estão ligados anatomicamente. Ex: formigas, abelhas, cupins
Colônia – os seres estão ligados anatomicamente, como se fossem apenas um ser

Isomorfa (homotípica ou homeomorfa) – não há divisão de trabalho, cada ser faz o mesmo papel. Ex: coral
Polimorfa (heterotípica ou heteromorfa) – há divisão de trabalho. Ex: caravela
Parental – entre parentes. Ex: vaca amamentando o bezerro
Desarmônicas – apenas um ser é beneficiado, o outro fica em prejuízo
Canibalismo – um ser se alimenta do outro
Competição – disputa por algum motivo, como comida, território ou reprodução. De certa forma contribui com o equilíbrio ecológico, pois evita a superpopulação. Ex: cachorros brigando por comida
Interespecíficas (heterotípicas) – entre indivíduos de espécies diferentes
Harmônicas – ambos os seres envolvidos são beneficiados
Comensalismo – um ser se beneficia dos restos alimentares deixados por outro, sem prejudicá-lo. Ex: Hiena come os restos de carne deixado pelo leão. Atenção: alguns autores utilizam o termo comensalismo para qualquer relação interespecífica em que um ser se beneficia e o outro permanece indiferente, seja com relação à alimentação ou não. Por isso alguns consideram o inquilismo como um tipo de comensalismo.
Inquilismo (epibiose) –apenas um ser é beneficiado, no entanto o outro não leva prejuízo. Um ser (inquilino) obtém abrigo ou suporte no corpo de outro (hospedeiro). Ex: orquídea ou bromélia e a árvore cujo tronco se instalaram, sem sugar nutrientes, não havendo, portanto, postura de parasita [as orquídeas e as bromélias são plantas inquilinas epífitas, que significa “que ficam em cima” (epi = cima)]. Outro exemplo: interação existente entre o peixe-agulha e as holotúrias (pepinos-do-mar). Esse pequeno peixe, quando perseguido por algum inimigo natural, procura uma holotúria e penetra em seu ânus, abrigando-se no tubo digestivo sem causar dano. Atenção: alguns autores consideram o inquilismo como um tipo de comensalismo, fato explicado acima, no item comensalismo.
Protocooperação (cooperação ou mutualismo facultativo)– assim como no mutualismo, há beneficio mútuo, mas uma espécie pode viver sem a outra. Ex: paguro a anêmona, peixe-palhaço e anêmona, peixes-limpador e outros peixes, boi e a ave anu (o anu come os carrapatos do boi, ganhando alimento, enquanto o boi fica livre de parasitas). Os seres polinizadores (como as abelhas e insetos que promovem a dispersão do pólen e fecundação das plantas) e os dispersores (como o lobo-guará que come o fruto da lobeira e defeca sementes que nascem somente com suas fezes) também fazem parte dessa categoria.
Mutualismo (antigamente chamado também de simbiose ou mutualismo obrigatório) – dois seres estão intimamente e permanentemente associados, vivendo um no corpo do outro, em uma relação mútua (os dois são beneficiados), realizando troca de alimentos e de produtos do metabolismo. A vida destes seres não é possível se separados. Ex: liquens (algas cianofíceas + fungos), cupim e protozoário (protozoário vive no intestino do cupim, ganhando alimento e fabricando a enzima celulase para o cupim digerir a celulose da madeira), micorriza (cerca de 95 % das plantas ganham sais minerais e matéria orgânica através das hifas de fungos anexadas a raiz; os fungos recebem em troca alimento), leguminosas e bactérias (certas bactérias vivem nas raízes de leguminosas e fornecem-lhe nitrogênio, que é utilizado na produção de proteínas; as leguminosas são capazes de fabricar hemoglobina, com a função de absorver o oxigênio livre, que poderia destruir as enzimas que fixam o nitrogênio)
Desarmônicas (antagôncias) – apenas um ser é beneficiado, o outro fica em prejuízo
Competição – disputa por motivos como comida ou espaço. De certa forma contribui com o equilíbrio ecológico, pois evita a superpopulação. Ex: serpentes e gaviões caçam no mesmo ambiente rato. Há uma disputa indireta ou direta pela presa
Amensalismo (antibiose) – indivíduos de uma população se secretam substâncias que inibem ou impedem o desenvolvimento de indivíduos de outra espécie. Ex: o antibiótico penicilina é fabricado a partir de um tipo de fungo (do gênero Penicillium) que impede a proliferação de bactérias
Sinfilia (esclavagismo) - alguns autores consideram essa relação como um tipo de parasitismo uma espécie captura a outra e faz uso do trabalho, das atividades ou alimentos. Ex: certas formigas capturam, cuidam e protegem os pulgões. Os pulgões têm um açúcar que sai do abdome, o qual as formigas se alimentam. Outro exemplo são as formigas-sanguinárias, que capturam larvas e pupas de espécies de formigas diferentes. Quando nascem as formigas elas se tornam operárias, escravas.
Predatismo – uma espécie devora outra espécie heterótrofa (ou seja, que não produz o próprio alimento). Ex: Onça come o peixe pirarucu
Herbivorismo - uma espécie devora outra espécie autótrofa (ou seja, produz o próprio alimento). Ex. boi come a grama
Parasitismo – um deles (parasita) vive através do corpo de outro ser (hospedeiro) alimentando-se dele. Há dois tipos de parasitas: ectoparasita e endoparasita
Endoparasita – parasita vive dentro do corpo do hospedeiro. Ex: lombriga, tênia, protozoário causador da malária (Plasmodium)
Ectoparasita – parasita fica fora do corpo do hospedeiro. Ex: sanguessuga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário